Assessor de imprensa fura fila e publica foto tomando vacina da covid-19 em Sinop

O governo vem adotando uma postura linha dura contra a questão dos “fura fila” na vacinação.

Assessor publicou foto em seu perfil do Facebook.

Um assessor de imprensa “furou a fila” e tomou a vacina para covid-19, nesta semana, no Hospital Santo Antônio, em Sinop (500 km de Cuiabá). Ele publicou uma foto segurando um frasco em seu perfil do Facebook, o que causou repercussão em sua rede social, pois, existe uma ordem prioritária para a imunização.

Na legenda da imagem no Facebook, ele escreveu que não é profissional da saúde, mas por trabalhar no hospital esteve em contato com a linha de frente da covid.

A unidade hospitalar vacinou, nos últimos dias, seus 167 servidores, com a primeira dose. Segundo informações da instituição médica, as primeiras doses encaminhadas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) foram feitas em uma equipe multidisciplinar (médicos, enfermeiros, técnicos, maqueiros, entre outros) que está, diretamente, ligada aos pacientes que testaram positivo para o coronavírus. A aplicação ficou a cargo da Secretaria de Saúde de Sinop.

Em nota, o Hospital Santo Antônio esclareceu que o assessor em questão é colaborador da unidade há pelo menos 10 anos, e que está diretamente envolvido com a rotina diária do local. Desta forma, ele se classifica e se enquadra como profissional de saúde tendo direito à imunização.

Já a Prefeitura de Sinop informou que não houve irregularidade e, que adota um sistema de ficha individual com todos os dados pessoais e função do profissional da rede de saúde, e que esses dados estão disponíveis a todos os órgãos de fiscalização.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, emitiu notas técnicas, na última terça-feira (26), para deixar claro às secretarias municipais de Saúde e hospitais o risco de um gestor sair do que está preconizado como prioridade na vacinação contra a covid-19.

O governo vem adotando uma postura linha dura contra a questão dos “fura fila” na vacinação.

“Aqueles gestores que estão tentados a fazer desvios de doses de vacina fora do grupo prioritário vão responder por isso, com certeza. Muitos poderão inclusive perder o emprego”, esclareceu Gilberto.

O Ministério Público Estadual (MPE) já abriu investigações, provenientes de denúncias feitas de que pessoas estariam sendo vacinadas sem se enquadrar nos grupos prioritários. 

Veja nota do hospital na íntegra:

O Hospital Santo Antônio esclarece que:
•Sendo o assessor de imprensa, um colaborador do hospital há pelo menos 10 anos, que está diretamente envolvido com a rotina diária da unidade e dos mais variados setores, tendo que ter acesso à áreas restritas, como a própria ala Covid-19, para gerar notícias e imagens, ele se classifica e se enquadra como profissional da área da saúde e, portanto, tem o direito a imunização;
•Assim como médicos, enfermeiros, o assessor de imprensa mas vários colaboradores da mais diversas áreas do hospital também está exposto ao risco de contaminação;
•Os colaboradores do Santo Antônio estão sendo vacinados aos poucos. Esta foi a segunda etapa e ainda haverá outras duas, haja vista o tamanho da nossa unidade hospitalar e a quantidade de colaboradores que temos para poder manter um funcionamento de 24 horas, inclusive da ala Covid, em seus leitos de internação e de UTI;
•Por considerar, todos os nossos colaboradores como profissionais da saúde, a meta do Santo Antônio é imunizar a todos.

Fonte: Reporter MT

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *